São Paulo acerta com volante Hudson, do Botafogo, até dezembro

0 comentários

Contrato do jogador, porém, pode ser prorrogado por mais dois anos

 O São Paulo anunciou, nesta terça-feira, a contratação do volante Hudson, de 26 anos. O jogador, que disputou o Campeonato Paulista pelo Botafogo, estava livre e assinou contrato até o fim do ano, mas com a possibilidade de estender o vínculo por mais dois anos.
- Hudson é um jogador que obteve destaque durante a disputa do Campeonato Paulista. Ele tem algumas características que nos agradaram muito e que qualificará ainda mais o nosso elenco - explica o vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes.
Revelado na base do Santos, o meio-campista foi um dos destaques da equipe do interior, que chegou até as quartas de final do torneio. Ele, porém, ficou marcado pelo pênalti desperdiçado na decisão da vaga para a semifinal, contra o Ituano, após o empate por 0 a 0 no tempo normal.

Hudson também acumula passagens por Santa Cruz, Ituano, RB Brasil, Comercial, Oeste e Brasiliense. No Tricolor, brigará por posição com Souza, Wellington, Denilson e João Schmidt, além do jovem Rodrigo Caio, que também pode atuar no setor.
Vale lembrar que na última segunda-feira, a diretoria afastou Fabrício, que não está nos planos do técnico Muricy Ramalho.


HUDSON
Nome completo: Hudson Rodrigues dos Santos
Data de nascimento: 30/01/1988 (26 anos)
Local de nascimento: Juiz de Fora (MG)
Posição: volante
Altura: 1,79m
Peso: 68 kg
Clubes: Santos (2007-08), Santa Cruz (2009), Ituano (2009), Red Bull Brasil (2010), Comercial (2011-2012), Oeste (2013), Brasiliense (2013), Botafogo-SP (2013 e 2014) e São Paulo (desde 2014)


Mais informações »

Rogério Ceni lamenta afastamentos de atletas no São Paulo: 'É uma pena'

0 comentários

Goleiro acredita que Tricolor cumprirá compromissos com jogadores afastados, mas diz: 'É ruim tanto para o clube quanto para os jogadores'

 Depois de parar nas quartas de final no Campeonato Paulista, o São Paulo começou a reformular sua equipe para o Brasileirão. Na segunda-feira, o clube anunciou o afastamento do lateral-esquerdo Clemente Rodríguez e do volante Fabrício. A notícia de que a dupla passará a treinar no CT de Cotia pegou de surpresa o capitão Rogério Ceni. Nos bastidores do programa “Bem, Amigos!”, o goleiro tricolor lamentou a situação.
- É difícil falar. Como companheiro, sempre desejamos o melhor para quem trabalha conosco. Eu não soube disso durante o dia. Soube pouco antes de participar do programa, do “Bem, Amigos!”. Pelo lado dos atletas, é sempre ruim. Não sei quem tomou a decisão, de onde veio. Lamento por eles. Acredito que a diretoria vá cumprir todos os acordos com os jogadores. É uma pena. É ruim tanto para o clube quanto para os jogadores.

As mudanças no elenco não pararam por aí. O zagueiro Roger Carvalho, que tem contrato até domingo, foi liberado dos treinos, já que o vínculo não será renovado. A diretoria também acertou o empréstimo de três jovens que vieram das categorias de base: o lateral-direito Lucas Farias, o zagueiro Luiz Eduardo e o meia Pedrinho foram cedidos para o Boa Esporte e disputarão a Série B do Campeonato Brasileiro.
Ceni, Luis Fabiano, Alexandro Pato, Paulo Henrique Ganso e os outros jogadores do time principal continuam sua preparação para a estreia no Brasileirão e para a partida de volta da primeira fase da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 22h, contra o CSA, no Morumbi. Como venceu o primeiro duelo por 1 a 0, o Tricolor tem a vantagem do empate para avançar.

Mais informações »

Maicon e Fabrício brigam em treino pegado no CT da Barra Funda

0 comentários

Volantes se enroscaram após dividida no meio de campo durante atividade comandada pelo técnico Muricy Ramalho, trocaram ofensas e precisaram ser contidos pelos companheiros

O clima ficou tenso no São Paulo após a eliminação nas quartas de final do Campeonato Paulista para o Penapolense. Em treino realizado na manhã desta sexta-feira, no CT da Barra Funda, os volantes Maicon e Fabrício se desentenderam após dividida no meio de campo e precisaram ser contidos pelos colegas.
Na atividade, o técnico Muricy Ramalho escalou duas equipes com 15 jogadores cada. O time que vestiu colete azul contava com os titulares da última partida do Tricolor mais a presença do zagueiro Paulo Miranda, do volante Denilson, do meia Gabriel Boschilia e do atacante Alexandre Pato.
Os reservas tentavam impor forte ritmo de jogo contra a equipe principal e equilibraram o treino. A disputa ficava acirrada a cada lance, até que Maicon tentou antecipar Fabrício de maneira dura. Fabricio, rispidamente, usou o braço para tirar o camisa 18 da jogada e teve o gesto copiado pelo titular. Maicon ainda ouviu xingamento e rebateu: "Vai se f... você". A discussão seguiu quando Fabricio afirmou que o companheiro era "perna", gíria para jogadores marrentos, e causou revolta no meio-campista: "O que? O que? Eu nunca te desrespeitei, rapaz. Vai tomar no c..."
Antonio Carlos, pelo time azul, e Lucas Farias, jovem lateral-direito dos reservas, foram os primeiros a apartar a confusão. Ao final do treino, Fabricio caminhou lentamente até o banco de reservas e tentou reaproximação com Maicon. Os dois conversaram um pouco, enquanto a comissão técnica se reuniu ao lado.
À parte de toda a confusão, Souza treinou mais uma vez no gramado. O volante está em fase final da recuperação de lesão no joelho direito e deve estar à disposição de Muricy Ramalho para o dia 9 de abril, quando o São Paulo recebe o CSA no Morumbi pelo jogo de volta da primeira fase da Copa do Brasil.


Mais informações »

Penapolense comemora 'troco' no São Paulo: 'Desta vez, o final foi feliz'

0 comentários
Quase um ano depois, Penapolense e São Paulo voltaram a se enfrentar em uma fase de quartas de final do Campeonato Paulista. Diferentemente do que ocorreu no dia 28 de abril de 2013, quando perdeu por 1 a 0, o time do interior deixou o Morumbi satisfeito. Após empate sem gols no tempo normal, o time de Penápolis levou a melhor nos pênaltis, ganhou por 5 a 4 e assegurou uma inédita classificação à semifinal do estadual.
"No ano passado, não tivemos a felicidade de ganhar. Desta vez, o final foi feliz. A gente merecia essa classificação. Trabalhamos por isso", disse o meia Neto, que cobrou a última penalidade. "Eles não tiveram nenhuma chance de gol. Jogamos melhores que eles [São Paulo] e fomos merecedores dessa vaga", salientou o volante Petros, um dos melhores em campo.
Assim com o elenco, o técnico Narciso viu como 'justa' a classificação da Penapolense. "Eu falei antes que a Penapolense não veio para se defender. Administramos bem o jogo. Jogamos bem no segundo tempo, tivemos boas oportunidades. Classificou quem jogou melhor", disse o comandante.
A equipe comandada por Narciso já sabe qual será seu adversário. É o Santos, que teve a melhor campanha da fase de classificação e alcançou sua vaga com uma goleada por 4 a 0 diante da Ponte Preta, na Vila Belmiro. O treinador elogia o rival, mas espera voltar a surpreender o adversário. Na primeira fase, o time do interior aplicou 4 a 1. Aliás, esse foi o último revés da equipe santista no Paulista.
"O Santos é uma excelente equipe. Tem a melhor campanha. Mas nós fomos o último time que venceu eles. E vamos levar essa confiança para o jogo [da Vila Belmiro]", acrescentou Narciso.

Mais informações »

Favorito, São Paulo reencontra o Penapolense por vaga na semi

0 comentários

Tricolor tenta se manter na luta pelo título diante da equipe do interior, que começou bem, mas caiu e vive jejum. Os dois times disputaram as quartas do ano passado

 Uma das quatro vagas na semifinal do Paulistão será disputada nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no Morumbi, por um time embalado, que se recuperou no decorrer da competição, o São Paulo, e uma equipe que começou o estadual muito bem, mas que caiu nas rodadas finais da fase de classificação, o Penapolense. Curiosamente, será a segunda vez que as duas equipes se encontram em um mata-mata estadual. No ano passado, também pelas quartas, também no Morumbi, o time da capital levou a melhor: 1 a 0.

O Tricolor se classificou em primeiro no Grupo A, com 27 pontos, entrando nos trilhos após início irregular. Nas últimas cinco apresentações, só perdeu uma vez. Depois de muitos testes, Muricy Ramalho encontrou a melhor maneira de escalar o time e, no 4-3-3, elegeu seus titulares. Luis Fabiano está com o faro de gol apurado. Osvaldo parece ter recuperado seu bom futebol e o meio-campo, que era o principal problema da equipe, se acertou.

O Penapolense se classificou em segundo lugar no Grupo A, com 19 pontos, mas não vive um bom momento. Depois de um início arrasador, com direito a goleada por 4 a 1 sobre o Santos, a equipe perdeu o rumo e só acumulou tropeços nas últimas rodadas. A última vitória ocorreu no dia 19 de fevereiro, diante da Portuguesa. Mesmo assim, o técnico Narciso e seus comandados acreditam ser possível surpreender o rival.
As quartas de final são disputadas em jogo único. A única vantagem do São Paulo é o mando de campo. Em caso de empate, pênaltis.
O árbitro Alessandro Darcie comanda a partida. A TV Globo transmite o jogo para o estado de SP, e o canal Premiere exibe para todo o Brasil. O GloboEsporte.com acompanha em Tempo Real, com vídeos, a partir das 21h30.

 São Paulo:  sem poder contar com o volante Souza, o técnico Muricy Ramalho vai repetir a base das últimas partidas - com Wellington na proteção à zaga. O time entrará em campo com: Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antônio Carlos e Alvaro Pereira; Wellington, Maicon e Paulo Henrique Ganso; Pabón, Luis Fabiano e Osvaldo.
Penapolense: o técnico Narciso deve retomar a escalação das rodadas anteriores, com os atletas que foram titulares no empate contra o Corinthians. O provável time do Penapolense terá Samuel Pires; Neto, Gualberto, Jaílton e Rodrigo Biro; Liel, Petros, Washington e Guaru; Rafael Ratão e Alexandro.

São Paulo: Souza (se recupera de lesão no joelho direito). 

Penapolense: o lateral-esquerdo Samuel Balbino e o volante Heleno, ambos suspensos por expulsões contra o Ituano.


 Curiosamente, São Paulo e Penapolense também se enfrentaram nas quartas de final do Campeonato Paulista do ano passado. Diante de 40 mil torcedores, o Tricolor teve dificuldades, mas venceu o rival do interior por 1 a 0, gol marcado pelo zagueiro Jailton (contra).A equipe garantiu vaga na semifinal, quando seria eliminada  pelo Corinthians na decisão por pênaltis, também no Morumbi.
video

Mais informações »

Breno toca na ferida: 'Podia ter amadurecido no Brasil antes de sair'

0 comentários

Ansioso por voltar ao São Paulo, zagueiro acompanha rotina vitoriosa do Bayern antes de se livrar da pena de prisão em regime semiaberto nos próximos meses

 O Bayern de Munique pode comemorar mais um título alemão nesta terça-feira, em jogo contra o Hertha Berlim, a partir de 16h (de Brasília), mas tem alguém no clube que não vai estar plenamente feliz . A pouco tempo de se ver livre da pena em regime semiaberto na prisão de Stadelheim, o zagueiro Breno segue sua rotina de trabalho em meio período nas divisões de base do clube bávaro enquanto aguarda a liberação para voltar ao Brasil e vestir a camisa do São Paulo, com quem tem contrato até 2015. Dois anos e meio depois da noite que mudou o rumo da sua vida, em 20 de setembro de 2011, confessa ter cometido erros na gestão da sua carreira.
- Hoje penso que poderia ter amadurecido um pouco mais no Brasil antes de vir para a Europa. Fui vendido ao Bayern de Munique muito novo - afirmou em entrevista por email ao Globoesporte.com.

Ansioso pelo retorno, o jogador reconhece as decisões que prejudicaram a sua carreira na Europa. Dificuldades de adaptação, série de lesões e imaturidade deram origem a um período conturbado na Alemanha, que o levaram a se envolver com álcool e a ser punido com três anos e nove meses de cadeia por ter incendiado a própria casa em Munique. Breno ainda conseguiu algumas atenuantes da pena por bom comportamento e, de acordo com a sua assessoria, deve sair em liberdade no meio do ano.

Campeão brasileiro em 2007, Breno deixou o São Paulo com apenas 19 anos com o rótulo de joia, mas não tardou muito até a aventura europeia se transformar em pesadelo. O zagueiro não superou a fase de adaptação e não rendeu dentro de campo os 12 milhões de euros pagos pela sua contratação.
- O clima e o idioma foram o mais difícil. É preciso se adaptar à cultura do país que é muito diferente do Brasil. Aos poucos você se vai acostumando, mas não é fácil - diz Breno.
Na sequência do mau rendimento dentro de campo, o Bayern decidiu emprestar o jogador. Mais um passo em falso na carreira de Breno, que não conseguiu convencer os bávaros a voltar a um dos vários times brasileiros interessados e acabou saindo para o Nuremberg por vontade do clube. A situação melhorou um pouco, mas o jogador se machucou gravemente, rompendo o ligamento do joelho e voltando para Munique.

- Insisti para ser emprestado a outro clube. Havia times brasileiros interessados, mas eles decidiram que deveria ser o Nuremberg. Foi lá que infelizmente tive a minha primeira lesão. A lesão me afetou mentalmente, porque nenhum jogador quer se machucar e ficar parado. Foi muito triste.
O regresso aos gramados pelo Bayern não foi feliz. O zagueiro não conseguiu continuidade, fez exibições ruins e contraiu nova lesão no tornozelo. No início da temporada 2011, chegou a trágica noite de 20 de setembro que mudou radicalmente a carreira do jogador. O atleta do São Paulo não quer ainda falar sobre o incidente, mas diz estar pronto para tocar na ferida assim que sair em liberdade, provavelmente quando já estiver no Brasil com a família, que em agosto aumentará com a chegada de mais uma criança.

Enquanto aguarda pela liberdade, o zagueiro continua trabalhando na base do Bayern de Munique durante o dia e volta para dormir no presídio à noite. Depois de um ano em regime fechado, a vida de Breno melhorou com aplicação do regime semiaberto desde agosto do ano passado. Durante o dia, o jogador vive com alguma normalidade e até assiste aos treinos do ex-time.
- Tenho pouco contato com os meus ex-companheiros. Sempre os vejo, porque trabalho num prédio em frente ao campo de treino do Bayern e quando posso assisto um pouco ao treino. Encontrei o Guardiola algumas vezes e ele conversou comigo. É um ótimo treinador, sempre que nos encontramos, é muito cordial - diz Breno.
A badalada vida de jogador de um dos clubes top europeu faz parte do passado. Hoje, Breno se desloca de metrô, a sua família vive na periferia e reduziu a renda mensal de 100 mil para três mil euros. Nas ruas, algumas pessoas ainda reconhecem o zagueiro, que diz que não se importa com esses detalhes e admite viver focado no cumprimento das regras para poder retomar a carreira no Brasil. E, para tranquilizar os torcedores do São Paulo, que provavelmente contará com o zagueiro para disputar uma parte do Brasileirão, Breno assegura que se está se preparando muito bem fisicamente.


- O que mais quero fazer é poder voltar a jogar futebol, entrar num estádio lotado e chutar uma bola. Quero me preparar para voltar em um grande nível. Sempre que tenho tempo, faço o meu treino na academia do Bayern, treino duas vezes por dia e me sinto muito bem. Não estou treinando na mesma intensidade de um jogador em atividade, mas mantive a forma física - assegura o zagueiro.
Mesmo com o trauma, Breno não descarta voltar ao futebol europeu no futuro.
- Vai depender primeiramente em retomar a minha carreira. Se estiver bem, com certeza haverá o interesse de clubes europeus. Eu quero viver o momento. No futuro, quando chegar o momento, vou decidir com a minha família - conclui.
A expectativa da família é que Breno seja libertado entre abril e julho deste ano. Nesse caso, o jogador chegaria ao São Paulo ainda com 24 anos e com tudo para retomar a sua carreira no Brasil. A assessoria de Breno garante, no entanto, que, se não conseguir a liberdade nesse prazo, o jogador sairá no máximo até o fim de 2014, e volta ao Brasil e ao São Paulo já com 25.

Mais informações »

Muricy pede, e São Paulo monitora Wesley, que não deve ficar no Verdão

0 comentários

Com vínculo até fevereiro de 2015 com Palmeiras, volante poderá assinar já a partir de agosto um pré-contrato com qualquer equipe

 Muricy Ramalho pediu, e o São Paulo está de olho no volante Wesley, do Palmeiras. Revelado pelo Santos, o volante tem contrato com o Verdão até fevereiro de 2015, mas a partir de agosto já pode assinar um pré-contrato com qualquer equipe. Nesta terça-feira, na Academia de Futebol, ele declarou que não vê problema algum em se transferir para um rival paulista, ressaltando, no entanto, que a sua vontade é ficar no Palmeiras (veja no vídeo abaixo).
 Mas Wesley dificilmente ficará no Verdão. O salário dele é um dos mais altos do elenco. Contratado pelo ex-presidente Arnaldo Tirone, o atleta é considerado caro para os padrões atuais do clube, e seu empresário, Hugo Garcia, já avisou ao presidente Paulo Nobre que seu cliente não aceitará o acordo por produtividade, que se tornou praxe no Verdão em 2014.

Com isso, se o Palmeiras quiser ganhar algo em cima do atleta, teria de negociá-lo antes de agosto. Wesley foi contratado em 2012 do Werder Bremen por R$ 15 milhões, mas, até hoje, o Verdão não conseguiu quitar a dívida com o empresário Antenor Angeloni, que bancou a transferência na época e hoje cobra na Justiça pouco mais de R$ 21 milhões.
O São Paulo topa pagar para receber o jogador agora ou aceitaria esperar para tê-lo de graça no início da próxima temporada. Os salários, porém, podem ser um entrave para a negociação avançar. Denilson, jogador que estava no Arsenal e tem salário parecido com o de Wesley, quase não foi aproveitado nesta temporada e dificilmente continuará no clube para o Brasileirão. O Flamengo surgiu como um interessado, mas a transação não caminhou.

 
No ano passado, o Atlético-MG chegou a negociar com o Alviverde uma contratação por empréstimo para que o jogador disputasse a Taça Libertadores da América, mas não obteve êxito.
Wesley é o típico atleta que Muricy Ramalho gosta de comandar. Polivalente, atua em várias posições. Pode ser segundo volante, terceiro homem de meio-campo, meia e até lateral-direito. No Palmeiras, disputou 70 jogos e marcou nove gols. Hoje, ele seria uma opção para a vaga de Maicon, que vem atuando como titular ao lado de Souza e Paulo Henrique Ganso no meio-campo.
Para o Verdão, seria uma perda gigantesca. Wesley é titular absoluto, um dos líderes do elenco e homem de confiança de Gilson Kleina.

Mais informações »